Nesta pequena publicação é abordada particularmente a questão da esfericidade da Terra – que aparentemente no passado suscitou muitas dúvidas – situando essa questão no contexto bíblico, e focalizando-a no âmbito da revelação e da ciência, em contraposição à pseudo-ciência. Dada a conotação usualmente dada a essa questão, relacionando-a com a viagem de Cristóvão Colombo ao continente americano, foi também dada ênfase à fé profética de Colombo.

 

por Dr. Ruy Carlos de Camargo Vieira
editado pela Sociedade Criacionista Brasileira, em 1996, com 24 páginas.

Formato: 15 x 22 cm (brochura)

Coleção Planeta Terra


Nesta pequena publicação é abordada particularmente a questão da esfericidade da Terra – que aparentemente no passado suscitou muitas dúvidas – situando essa questão no contexto bíblico, e focalizando-a no âmbito da revelação e da ciência, em contraposição à pseudo-ciência. Dada a conotação usualmente dada a essa questão, relacionando-a com a viagem de Cristóvão Colombo ao continente americano, foi também dada ênfase à fé profética de Colombo.

Quanto à questão de saberem, ou não, os antigos, algo sobre a esfericidade da Terra, o livro ressalta vários aspectos históricos que desmistificam a ideia de que só modernamente foi feita a descoberta desse fato. Nesse sentido, foram usadas informações constantes do interessante livro de autoria de Jeffrey Burton Russell intitulado “Inventing the Flat Earth” (Praeger, 1991, N. York), que posteriormente foi traduzido para o Português pela Sociedade Criacionista Brasileira e publicado em parceria com a Universidade de Santo Amaro. Os dois livros complementam-se bastante bem, dando uma visão abrangente de como e porque foi inventado o mito de que na antiguidade supunha-se que a Terra era plana.

Particularmente, a publicação explica como Eratóstenes, e mais tarde Possidônio, elaboraram interessantes métodos observacionais para calcular o diâmetro da Terra.