Estudos comparativos que demonstram a existência de uma língua mãe pré-histórica e sua difusão universal.

por Luiz Caldas Tibiriçá.
Edição Resumida, publicada pela SCB, janeiro de 1999.

 

 

por Luiz Caldas Tibiriçá.

Esta publicação é a edição resumida de obra inédita do Autor, feita pela SCB, em janeiro de 1999, com 47 páginas

Estudos comparativos que demonstram a existência de uma língua mãe pré-histórica e sua difusão universal.

Formato: 15 x 21 cm (brochura)

Coleção Idiomas

A respeito do autor:

Nasceu em São Paulo, Brasil, a 3 de junho de 1913. Cursou os estudos primários na Escola Paroquial de Santa Cecília, o ginásio, no Liceu Coração de Jesus e o científico no Liceu Anglo-Latino. Cursou Geologia, na Universidade de São Paulo, com vários diplomas de pós-graduação.

Cursou, ainda, Composição, no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, com o professor João Sepe e orquestração com o professor Furio Franceschini.

Desde os 14 anos, quando tomou contato com os índios Guarani-Nhandeva, de Itanhaém, e aos 21, com muitas tribos do Pantanal: Guaiacuru, Andauê, Chiriguano, Terena e outras, passou a interessar-se pelo estudo das línguas da América e suas origens. Estudou cerca de 200 dialetos e elaborou ointenta e três monografias, das quais foram editadas apenas quatro.

É autor de seis dicionários: Tupi-Português, Guarani-Português; Dicionário de Topônimos Brasileiros de Origem Tupi; Dicionário da Mitologia Universal; Vocabulário Tupi Comparado; Dicionário de Termos Asiáticos e Ameríndios, este último ainda inédito.

Há 40 anos dedica-se incansavelmente à elaboração de sua obra principal Dicionário de Raízes Primitivas, cujo objetivo é demonstrar com evidências o monogenismo linguístico.

É co-fundador de dois institutos de arqueologia: I.A.B. Instituto de Arqueologia Brasileira (Seção de São Paulo) e I.P.A., Instituto Paulista de Arqueologia. É Diretor do Museu Particular de Jundiaí “Francisco de Matheo” e membro Titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.

 

Sobre a obra:

A impressão deste Dicionário foi feita pela Sociedade Criacionista Brasileira, por ter reconhecido o valor da obra do Autor (ele mesmo um símbolo de perseverança), e por ter vislumbrado o valor de suas pesquisas sobre o relacionamento entre as línguas Tupi e Suméria, que complementam magnificamente o trabalho de Guilherme Stein Jr. sobre a origem comum das línguas e das religiões.

Luiz Caldas Tibiriçá graduou-se em Geologia na Universidade de São Paulo, onde fez vários cursos de pós-graduação. Desde os 14 anos, quando tomou contato com os índios Guarani-Nhandeva, de Itanhaém, e aos 21, quando serviu o exército em Mato Grosso, com muitas tribos do Pantanal (Guaiacuru, Andauê, Chiriguano, Terena e outras), passou a interessar-se pelo estudo das línguas da América e suas origens. Estudou cerca de 200 dialetos e elaborou oitenta e três monografias, das quais foram editadas apenas quatro.

É autor de seis dicionários: Tupi-Português, Guarani-Português; Dicionário de Topônimos Brasileiros de Origem Tupi; Dicionário da Mitologia Universal; Vocabulário Tupi Comparado; Dicionário de Termos Asiáticos e Ameríndios, este último ainda inédito. Há 40 anos dedica-se incansavelmente à elaboração de sua obra principal “Dicionário de Raízes Primitivas”, cujo objetivo é demonstrar com evidências o monogenismo linguístico.

“Neste dicionário”, diz o Autor, “verá o leitor um mesmo termo com o mesmo significado na Ásia, na Europa, na África, na Oceania e nas línguas indígenas da América. Creio, pois, que esta obra irá surpreender muitos estudiosos, que não poderão compreender como cheguei ao âmago do tão complexo problema: a origem comum de todas as línguas, ou melhor, uma prova evidente do monogenismo linguístico”.

Na primeira parte desta publicação é apresentada a posição do Autor a favor do monogenismo linguístico, partindo de alguns pressupostos que embora aceitem alguns conceitos evolucionistas, também reforçam as teses criacionistas.

Na segunda parte é apresentado um resumo do “Dicionário de Raízes Primitivas”, com algumas raízes selecionadas, e com vários interessantes gráficos ilustrativos.

Finalmente, é adicionada uma vasta bibliografia, e ressaltado que, para a execução do trabalho completo, foram consultados mais de 8.000 livros e revistas, bem como documentos raros, durante um período de 40 anos.